Confira só a tradução da matéria da revista Galore Girl, no qual Christina Aguilera está em um ensaio estonteante feito pela incrível Ellen Von Unwerth. Veja só:

O gênio está fora da garrafa, baby.

Nós não poderíamos pensar em ninguém melhor para roubar a cena da nossa capa do que a nossa garota “Suja” favorita. Christina Aguilera não é apenas a nova Galore Girl, ela é a estrela pop que abriu muitos olhos dos nossos leitores para o Girl Power, a liberação sexual e em como ser confiante mesmo quando você é diferente.

Depois de seis temporadas no The Voice em seu “modo TV” que não produziu nada, a princesa do pop está de volta às suas raízes com o palco. em uma residência em Las Vegas que, segundo ela, será seu projeto mais ambicioso até agora.

A residência de Christina Aguilera em Las Vegas, The Xperience, começa nesta sexta-feira, 31 de maio, no Zappos Theater, no Planet Hollywood Resort & Casino, em Sin City.

Se ela trouxer sua voz épica, prometemos trazer as calças de Dirrty.

Para comemorar o retorno de uma de nossas cantoras favoritas ao palco, tivemos 1 de 2 das entrevistas, feita por outra queridinha nossa e também um ensaio fotográfico épico.

Tayla Parx, que escreveu algumas músicas com Christina e também tem algumas faixas poderosas, conversou com a própria Christina sobre como está sendo voltar ao ritmo, sobre sua residência em Vegas e muito mais.

Christina se reuniu com Ellen Von Unwerth, para fazer um photoshoot seriamente mágico que é tão “Dirrty” quanto “Beautiful”.

Com a sua turnê, você está claramente de volta ao seu ritmo. O álbum valeu a pena esperar, então me diga, como é o set list do show?

Oooh, senhorita entrevistadora! Eu amei isso. Nós poderíamos ficar conversando o dia inteiro, mas estou muito animada por essa entrevista. LIBERATION, como você sabe, [estará no set list] – e que você também é parte  grande e incrível da criação. Estou de volta testando os novos ares, saindo desse modo de TV estéril do qual eu fazia parte. Eu estava tão infeliz lá e agora estou ansiosa para voltar às minhas raízes no que eu faço de melhor; minha arte, fazendo o que eu amo fazer, criando e tendo um propósito e significado para tudo. Você sempre foi uma ótima ouvinte e co-criadora, você tem aquela vibe que combina com qualquer coisa. A última vez que eu estive em turnê e fazendo vários shows foi literalmente há uma década atrás. Meu filho tem 11 anos agora e eu não me aventurei em turnê porque eu estava com tanto medo disso. Eu fiquei tipo “Como eu faço esses malabarismos com isso? Como eu faço isso? ”Então aproveite enquanto você pode, menina [risos] – quando você não tem nenhum compromisso!

Isso é o que eu realmente respeito em você. Eu não sei como você faz isso. Você é tão boa em fazer malabarismos com sua vida em casa, além de ser a superstar que você é. Eu não entendo como você faz isso.

Isso fazia parte do nosso cronograma enquanto estávamos trabalhando juntas, né? Tipo, “Eu tenho que colocar as crianças na cama e então podemos começar a trabalhar!” Ou nós fazemos isso o quanto antes e aí você terá batalhas de pistola de água com meu filho, Max.

Eu amei isso. Eu acho que tudo entra no processo de criação do álbum. Eu pude ver todos esses seus lados reais. Você diria agora que está animada para mostrar sua personalidade através da sua marca?

Essa é uma coisa engraçada também. A gente se divertiu muito com isso, mas eu estou tentando ser mais próxima assim com meus fãs, compartilhando conteúdo na internet, sendo mais presente para eles nas Redes Sociais. É um novo mundo pra mim. Não foi algo que a minha geração cresceu fazendo. Eu gosto do estilo: “você não quer ser privativa? O que é isso? ”Estou muito bem resguardada. Quando a gente se conheceu você veio e disse “Posso colocar a nossa foto no meu Story do Instagram?” Eu eu fique tipo, “O que você quer dizer com uma ‘história’?”. Mas foi hilário.

Eu estava tipo, “Uau, é tão legal conhecer você.” Eu queria mostrar a todos como que é o seu mundo e o quão legal você é, o quão engraçada você é. Então eu estava tão animada com isso.

Eu sei, eu te amo. Eu sou tipo “A mãe de todos” com aqueles que eu realmente me importo. Eu sempre quero que todos ao meu redor se sintam bem, se divirtam, se sintam bem-vindos. Quando eu realmente entendo que você é uma pessoa verdadeira, que me ajuda e me apoia, nada pode me impedir de me importar com essa pessoa. Claro com essa nova onda de Instagram, isso e aquilo, quando você é uma pessoa protegida e cresceu em um mundo onde você tem que se proteger para seu próprio bem-estar e proteção, expor-se em uma grande plataforma abertamente pode ser realmente uma coisa difícil de se fazer. Estou explorando meu próprio nível de conforto com o Instagram. Usá-lo mais como uma saída criativa, para conversar com os meus fã, isso é algo que eu não entendia antes. Eu fiquei tipo “Por que uma pessoa quer ficar tirando fotos de si mesma e compartilhar?” Eu não entendi que poderia ser algo artisticamente criativo, ser uma saída e deixá-los saber o que está acontecendo diretamente com você, em vez de ter que ler artigos ou meios de comunicação ou fontes de notícias falsas. Eu acho que isso é ótimo por esse lado, mas estou tentando entender melhor tudo isso e explorar a ferramenta.

De volta a Vegas, sim, estou animada porque contar uma história é realmente importante para mim. Liberation, como um todo, é uma sensação de liberdade. Eu estou tirando uma espécie de pele, entrando naquilo que eu senti, que era uma caixa onde eu só poderia ser vista em uma dimensão através da lente da televisão, onde somos muito maltratados e supervisionados por uma rede de TV, ou fazendo e agindo da maneira que eles querem para mostrar o que eles querem que seja apresentado. Não há liberdade artística de verdade nisso.

Então, voltando para a turnê, tendo sentido como as coisas estão, voltando para os meus fãs – o palco é onde eu sei que é o meu lugar. Eu senti falta, estava faltando isso na minha vida há muito tempo. Meu filho já tem idade suficiente para entender isso, e ele não pode simplesmente pegar tudo e ficar longe da escola. Os pais deles são ótimos, temos um ótimo relacionamento. Minha filha me ajudava muito na estrada. Ela entrou de cabeça nisso, ela colocava uma fantasia em todas as noites também, tinha seu figurino. Ela colocava sua fantasia de Patrulha Canina como se fosse Halloween todas as noites. Ela ficava tipo “vamos mãe, é hora de chegar ao próximo lugar” ou no próximo programa ou na próxima cidade. Ela ficava assim o tempo todo. Somos quase idênticas em termos nossas configurações específicas e como gostamos de ser confortáveis. Tudo tem que ser à luz de velas ou com um cobertor aconchegante ou minha infinidade de bebidas por perto. Tudo tem que estar preparado para ser um ambiente confortável.

Estou animada porque Vegas me dá a chance de não estar muito longe de casa. Eu posso ir intercalando com as crianças. Quem me conhece, sabe, eu não quero apenas deixar meus filhos ficarem com uma babá 90% do tempo. É importante para mim colocá-los na cama, estar com eles de manhã se eu tiver que ir trabalhar. Seja o que for, eu quero ter esses momentos e dias específicos para que eu possa passar com eles. Acabei de voltar da Disney se divertindo muito com a família. Essas coisas são importantes.

Você está ansiosa para fazer algo em particular em Vegas? Por exemplo, quando vou a Vegas, tem uma bebida floral que deixa sua boca amortecida. E toda vez que vou tenho que tomar.

Veja, você tem que me dar uma lista de coisas que eu preciso fazer e experimentar em Vegas. Libertação (Liberation) foi um momento sério na minha vida, onde eu tive que tirar as coisas do meu peito e explorar tudo isso. Vegas veio em um momento perfeito porque eu estou no ‘modo diversão’ agora.

Aumente o modo!

Ayyy! Tina aumentaê! Do ponto de vista criativo também. Eu acho que o show fala criativamente sobre exploração. Eu não queria fazer um show onde você vai só pra me ver cantar. Eu não queria fazer um show normal ou o conceito de ir ver alguém e não interagir com o show. Eu queria tornar a experiência sensorial, um momento para todos serem capazes de saber quem são eles sem uma máscara.

Se você ver a foto do anúncio do show, parece que estou usando uma máscara de lantejoulas ou algo assim. Então, cada pecinha foi colocada individualmente no decorrer de três horas. Foi meticulosamente irritante. Eu tinha um copo com canudinho para me ajudar a beber, mas três horas tendo essas coisas coladas na minha cara. Mas ficou bonito e a ideia de entrar no conceito de como todos nós usamos essas máscaras, quer saibamos ou não. Quer seja uma máscara que vestimos no trabalho, seja uma máscara que tiramos à noite depois de um longo dia para nos tornarmos quem realmente somos. Ou é algo que usamos para expressar quem realmente somos. O que quer que façamos, todos usamos algum tipo de máscara a qualquer momento. O que eu queria fazer com esse show era dar às pessoas a liberdade de colocar uma máscara ou tirar sua máscara. Eu queria que todos se sentissem inclusos no show. Eu não queria que ninguém se sentisse que não podem ser eles mesmos ou apreciar o que todos nós estamos passando como um todo. Você sabe? Não há divisão. Não há nenhum tipo de repressão em qualquer nível e é sobre liberdade e diversão. Você começa a perceber isso. Isso é música em geral, e é por isso que a amamos tanto.

Tudo o que eu aprendi na minha carreira até agora é que eu posso inspirar alguém a ir lá e fazer o que quer que seja ou ser criativo do seu próprio jeito. Muitas vezes, especialmente depois de estar no mundo da fama por tanto tempo, você vê que ninguém está reinventando tudo por si só. Estamos todos inspirados e estamos crescendo de maneiras diferentes, mas estamos todos cercados uns pelos outros. Como você pode não se inspirar em outra coisa que é bonita? Sexo, raça ou qualquer outra coisa. Estamos em um clima no momento em que todos precisam se sentir livres para se expressar, não importa como isso seja.

Porque nós temos a capacidade de fazer o que queremos consistentemente no mesmo local, no show teremos coisas realmente especiais que talvez vão descer do teto e apelar para todos os cinco sentidos em algum nível.

Isso é exatamente o que eu ia perguntar a você. É uma experiência completamente diferente da turnê. Você está fazendo do local a sua casa de verdade. Você sente que tem mais liberdade criativa ao fazer isso do que seguir as regras de cada lugar em cada cidade?

Isso definitivamente ajuda muito o que estou tentando criar em Vegas. Acho que, com qualquer show ou show criativo, você quer se sentir como se estivesse sendo sugado para um mundo diferente durante esse momento. Sinta-se como se estivesse comemorando – não apenas a música, mas vendo todo mundo apenas um com o outro. Essa é uma das coisas mais incríveis sobre música. Olhando em volta e vendo todos se unindo para um propósito super positivo e, no entanto, todos estão seguindo seu próprio ritmo.

Olhando em torno de sua fan base em particular, sua música transcende gênero e idade e tem sido assim por décadas. Então, eu só posso imaginar a faixa etária e os diferentes rostos que você está ajudando a iluminar todas as noites. Eu fui capaz de ver um show seu e eu fiquei super impressionada, porque você sempre mandou muito bem durante a sua carreira. Seus fãs mais novos podem vir com suas mães ou irmã mais velha. Você está ansiosa para incluir músicas que não apenas lembrem do seu passado, mas também do seu futuro?

Com certeza. Eu amo quando ouço você falar durante a entrevista. Eu sinto sua falta garota. Nós não estamos acostumadas a conversar uma com a outra tão profissionalmente!

Geralmente é depois de alguns copos de vinho!

Você sabe. Temos que nos atualizar. Mas sim, para Liberation e não tendo estado em turnê por um tempo, querendo ficar mais perto e estar lá para meus filhos, eu pude ver o quão versátil o meu público realmente era. Tantos estilos de vida e gêneros e sexos e uma variedade tão ampla de idades e grupos se divertindo juntos e diferentes estilos de pessoas também. Havia roqueiros hardcore, a galera do eletrônico, minhas incríveis drag queens que se montam com empenho em diferentes looks icônicos dos meus vídeos. É simplesmente uma incrível variedade de todas as esferas da vida se unindo.

Isso é o que eu achei divertido fazer com Vegas – ser o epicentro de tantas pessoas se juntando que só querem se divertir – e realmente dar a eles essa experiência para entrar neste mundo. Então, a melhor maneira que eu posso descrever um pouco é que o Show é um tipo de encontro galático e terreno, ao mesmo tempo. Não importa o que eu esteja fazendo, tem que ter um significado e valores sólidos e uma perspectiva interessante e um enredo acontecendo por trás do programa e do conteúdo da música. Nós temos algo para meus fãs que cresceram comigo, como a música que foi trilha sonora de Mulan. A música com a qual fiz o meu primeiro contrato com a gravadora, que foi “Reflection”.

Esse é o momento em que eu percebi que eu era péssima em decorar letras, a vez que tentei cantar [com minha mãe] “Reflection”. Toda vez que vou ao Texas, minha família me mostra esse vídeo de eu chorando no palco porque errei a primeira letra da música. Eu falei pra você, “Eu tenho que te mostrar isso”, porque eu estava chorando e cantando, mas é assim que eu me lembro dessa música.

Eu sinto muito que aconteceu isso com você e a minha música! Mas sim, é quase como, olhe pelo lado bom disso tudo, pelo menos o seu aconteceu antes de você ser famosa.

Vamos entrar na moda um pouco. Você tem sido obviamente um ícone na indústria da moda por um minuto, começando com os looks que agora são a moda nova novamente. Há alguma roupa especial que você goste e pense “Eu mal posso esperar para chegar com tudo com essa roupa” ?

Eu gostei de como você colocou isso! Eu tento empurrar os padrões e os limites criativos do que podemos fazer e maneiras criativas de fazer isso. Ao longo de toda a minha carreira, fizemos de tudo, desde a criação de um figurino pessoal – que tem sido incrível em tantas pessoas e versões diferentes ao longo dos anos – até o visual “Lady Marmalade” e toda essa era burlesca que sempre aparece nos meus shows. Desta vez, estamos experimentando alguns olhares sob Bionic, que não havíamos explorando na época, porque eu nunca cheguei a fazer uma turnê com esse álbum. Estamos fazendo algumas coisas interessantes com luzes brilhantes e muitos tons de prata e formas angulares – será um grande espetáculo.

Eu estou fazendo esses momentos super interessantes em que cada música reflete um esquema de cores monocromático e vai mudando de acordo com a nossa posição… estou no controle de toda a criatividade agora, então estou divagando sobre certas coisas que provavelmente vão dar certo, mas que nem faz tanto sentido assim, na verdade.

Uma das coisas da Liberation foi este vestido com Travesseiro que precisava de seus próprios portadores de Viktor & Rolf, que foi incrível. Era como usar uma cama, mas tinha que ser apoiada em um suporte, você não podia literalmente vesti-la. Gareth Pugh fez incríveis figurinos para a última turnê, com uma capa e máscara e tudo mais. Ele está trabalhando comigo nessa turnê também. Bobby Abley, que é realmente incrível. Ele é meu fã há tanto tempo e postou muitas coisas – na verdade, ele também é um grande fã seu. Eu notei que ele gosta muito das suas fotos e talz. Ele usa muito street wear, então estamos incorporando um pouco disso também. Ele tem sido um fã incrível, ele disse que estava passando por um clube de stripper quando estava sendo seduzido ou o que quer que seja e “Dirrty” estava tocando e ele falou “ foi ali que minha vida mudou”. Ele disse que eu o ajudei a se reencontrar.

É estimulante trabalhar com pessoas que são fãs, pois oferece a perspectiva de “como meu público antigo e novo quer me ver?”

É legal poder trazer algo completo. Eu sei que em certo momento eu era uma influência sobre ele e agora ele está ajudando a fazer parte da roupa da turnê e vestir minhas dançarinas e outras coisas. Kristen Cohen é outra que é super incrível. Eu só fui ao show dela no ano passado. Partimos para algo em que queremos reinventar os looks antigos. Você nunca quer fazer nada explicito. Tipo, ok temos os looks, mas vamos ver como podemos criar uma nova reviravolta.

Essas foram todas as perguntas que eu estava morrendo de vontade de perguntar a você. Será que eu esqueci de alguma coisa?

Acho que só precisamos nos reunir quando terminar sua turnê! Brincar com as armas de água na piscina e tomar vinho! Você definitivamente tem que passar por Vegas, talvez até fazer parte do meu show. Diga Lizzo que eu mandei um “Oi”. Estou tão animada com vocês dois.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of